Translate

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Vontade


Sinto frustração
e uma singular agonia
sufoca minha paz...
Não posso estrangular
em minha poesia
toda a hipocrisia
dos falsos moralistas
que poluem o mundo
e a nossa vida.
Ah, se Deus me permitisse
ao menos um segundo
travar a língua, a voz
de quem impõe a sua verdade
como sendo absoluta,
que enche nossa mente de nós
e a nossa alma de culpa...
Mas sou apenas um poeta,
um simples aprendiz de feiticeiro
que tem uma vontade inquieta
de viver cada sonho por inteiro.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Um sonho realizado


Tarde inesquecível... No dia 11/08/2006 realizei um sonho: conheci - pessoalmente - a lenda da poesia curitibana, Alice Ruiz. Pessoa que estimo e que me inspira na arte da palavra.

domingo, 21 de agosto de 2016

Participação na Antologia Logos



Abaixo segue o link para ver minha participação na Antologia Logos no mês de Julho... Basta copiar e colar o link na barra de endereço. Muito grato por mais esta oportunidade.

http://www.carmovasconcelos-fenix.org/LOGOS/L21/LOGOS21-Jul2016-P-20.htm


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Sonhos siameses


Passam horas,
passam dias,
passam meses...
Continuo sonhando
com ela e com os nossos
sonhos siameses...

Surgem em minha mente
como que de repente
por várias vezes...
Como pássaros que buscam
um clima mais quente...
Feito flashes de fotos
que sempre vem, vão e voltam...

Em meio às crises...
Em meio às cruzes...
Em meio a parentes...
Fomos apenas um
mesmo sendo diferentes...
Tal qual os nossos
sonhos siameses.

Mas tudo que é bom
acaba, simplesmente,
independente dos vieses
que passam pela gente...
Tudo que é som
um dia silencia,
vira “somente”...
Tudo que é noite
amanhece, vira dia...
Tudo que é dor
pode virar poesia...
Tudo que é especial
pode acabar sendo igual...

Toda doce alegria
pode gerar lágrimas de sal...
Todo amor do mundo
pode se mostrar traiçoeiro...
Aquilo que aparenta ser sonho
pode se revelar pesadelo...

Posso sentir tudo isso
em cada fio de cabelo
ou na cortante lâmina
de um discreto sorriso
em alguma esquina,
em algum coletivo,
tateando na vida
uma solução, uma saída
para o labirinto impreciso
de cada experiência vivida.